Inicio Notícias

Pegou pesado! Ronaldo Angelim não perde a oportunidade e ''tira sarro'' do Vasco pelo atual momento


Publicado em 04 do 05 de 2019 por Marcelo Viana

               Ídolo do Flamengo provoca Vasco: 'Não tem nem mais rivalidade, estão bem para trás'

Ex zagueiro não perdoa a atual situação do Vasco e cai na zoeira! Um dos protagonistas do último título do Flamengo no Brasileirão, em 2009, o ex zagueiro Ronaldo Angelim foi autêntico ao se manifestar sobre a atual situação do time da Gávea. Ele afirmou que não pretende mais ser lembrado pela proeza que realizou diante do Grêmio e afirmou que prefere "deixar essa fama de cheirinho que incomoda demais"

Ronaldo Angelim também não perdeu tempo e fez questão de provocar o Vasco, clube que o Zagueiro venceu na final da Copa do Brasil em 2006. O Nordestino reafirmou que já não há mais graça em "zoar" o Vasco.

"Vai fazer 10 anos aquele gol. Quero mais é que o Flamengo ganhe logo o Brasileiro para gente sair desse cheirinho que incomoda demais a gente. Vasco, por exemplo, nós não aguentamos mais zoar. Não tem graça, não tem rivalidade. Eles já ficaram bem para trás. Temos que caçar um novo rival para gente zoar" -  disparou o ex zagueiro do Flamengo.

O herói do título também discursou sobre outro cenário em que foi protagonista durante a carreira no futebol: o prêmio Puskás do craque Neymar, em 2011. O cenário que na época contou com um drible magistral sobre o então zagueiro naquela histórica vitória do Flamengo por 5 a 4 sobre o Santos.

Angelim revelou que o então atacante do time da Vila até que mereceu a homenagem, todavia deixou bem ciente que foi apenas um "peão" num jogo de xadrez. E que o lance foi lindo desde a sua originalidade, fazendo questão de ressaltar que Neymar não ganhou por conta do drible em cima do próprio zagueiro. Afirmou que aquele drible não foi o protagonista do troféu, mas sim por toda a jogada, desde o primeiro toque na bola. Ele ganhou porque veio driblando todo mundo, e ninguém conseguiu parar a jogada, e ele não quis parar a jogada em cima da linha.

Ele também justificou o porquê de não ter interceptado a jogada de Neymar, afirmando que se tivesse feito a falta no lance, certamente seria expulso, e com isso prejudicaria o Flamengo.

Afirmando que por toda a sua carreira nunca foi um jogador de fazer falta ou violento. A intenção é de jogar futebol e nunca incentivar a violência. "Se tivesse parado a jogada no lance, certamente o Flamengo perderia aquele jogo."